×

Programação - Cursos

Cursos presenciais
Dia 15/09/22 das 8h30 às 12h

Somente será possível escolher 1 (um) curso presencial por inscrito.

CP1 - Como a psicologia positiva pode contribuir para as intervenções em psicologia hospitalar?

Doralucia Gil (Hospital Escola UFPEL)

Este curso abordará conceitos chaves da psicologia positiva e da psicologia da saúde. Serão apresentadas algumas possibilidades de intervenções em psicologia positiva aplicáveis no contexto de internação pediátrica e de maternidade.

 

CP2 - Projetos de vida: Implicações e Aplicações no Contexto Escolar

Letícia Lovato Dellazzana-Zanon (PUC-Campinas)

O objetivo do curso é apresentar aspectos teóricos e práticos do projeto de vida no contexto escolar, considerando a implementação do componete curricular projeto de vida na Educação Básica. Serão abordadas as implicações da temática projetos de vida para o professor e para os estudantes adolescentes no conexto da educação positiva.

 

CP3 - Como aumentar o bem-estar e diminuir o estresse no trabalho: possíveis intervenções

Helenides Mendonça (PUC-GO)

Este curso tem como foco apresentar os principais conceitos e modelos de bem-estar e estresse no ambiente de trabalho, identificando variáveis organizacionais e individuais que colaboram para o aumento da saúde laboral. Na sequência, com o propósito de instrumentalizar os participantes no processo de autorregulação, serão apresentadas estratégias individuais que podem favorecer o bem-estar no trabalho e minimizar o estresse.

 

CP4 - Flow e Engajamento no Trabalho

Larissa Farina (UFRGS)

Abordará as conceitualizações de ambos os construtos e suas aplicações práticas através dos recursos individuais e recursos e demandas do trabalho - como as empresas podem facilitar a experiência de flow e a vivência do engajamento nesse contexto.

 

CP5 - Luto e Psicologia Positiva

Miriam Souza Castro Rodrigues

A partir do sofrimento da perda de alguém, é possível ter um desenvolvimento em diferentes esferas humanas como: fortalecimento dos relacionamentos, aumento do significado na vida, mudança espiritual, reconhecimento das forças pessoais. Curso explora as evidencias das praticas da Psicologia Positiva durante processo do luto.

 

CP6 - Altas habilidades/superdotação: compreensões, identificação e ferramenta de triagem

Tatiana de Cassia Nakano (PUC-Campinas)

A temática das altas habilidades/superdotação tem se mostrado cada vez mais importante dentro da chamada educação especial, como forma de garantir a equidade no processo de ensino aprendizagem e a inclusão de diferentes perfis de alunos em sala de aula. No entanto, apesar de sua relevância e do aumento da demanda por avaliações nessa área, uma série de desafios ainda precisam ser superados, envolvendo: falta de consenso acerca da sua definição, mitos e ideias errôneas que ainda se fazem presentes em relação à temática, dificuldades na identificação e avaliação dos indivíduos que apresentam indicadores de alta habilidade/superdotação, lacunas em relação a instrumentos psicológicos desenvolvidos especificamente para essa população, bem como o desconhecimento das Leis e programas de atendimento especializado. Tais questões têm se constituído como dificuldades para o estudo da temática e para a ampliação do atendimento adequado à essa população específica. Nesse sentido, o minicurso tem, como objetivo, apresentar os principais tópicos relacionados à temática das altas habilidades/superdotação, incluindo suas definições, principais modelos teóricos, compreensões históricas, mitos e concepções errôneas associadas ao fenômeno, formas de identificação, instrumentos utilizados, incluindo a apresentação de uma ferramenta de triagem para o fenômeno. Ao final, serão apresentadas as diversas possibilidades de atuação do psicólogo junto a esse público.

 

CP7 - Avaliação Psicológica da Resiliência ao Longo do Desenvolvimento

Karina da Silva Oliveira (UFMG)

A resiliência é entendida como um fenômeno psicológico resultante da interação de diferentes recursos pessoais e contextuais. Tais recursos capacitam o indivíduo a apresentar respostas de adaptação positiva diante de situações estressoras ou de adversidades que sejam reais ou percebidas. Atualmente, em virtude dos inúmeros desafios experimentados pela sociedade nos últimos anos, o termo popularizou-se. Porém, nota-se que aspectos relacionados a origem do termo, definições, compreensões teóricas e propostas de avaliação da resiliência, são temas desafiadores que requerem maior atenção dos profissionais em psicologia. Diante deste cenário, o presente curso fará uma apresentação conceitual da resiliência a partir do percurso histórico de investigação, verificando a evolução dos termos originalmente utilizados pelos pesquisadores até a adoção do termo resiliência. Abordará os diferentes modelos teóricos e características esperadas no comportamento resiliente. Assim como tratará da relação entre resiliência e personalidade. Terá como referencial de avaliação o que está disposto na Resolução 09/2018, que compreende a avaliação psicológica enquanto processo técnico e científico. Portanto, ao tratar da avaliação da resiliência, serão consideradas as diferentes estratégias que poderão compor tais processos ao longo do desenvolvimento. Também, serão apresentados instrumentos nacionais e internacionais para esta finalidade, ponderando sobre suas qualidades psicométricas, potenciais e limitações. Ainda, refletir-se-á sobre os cuidados éticos que devem permear processos de avaliação da resiliência, especialmente, no que diz respeito às conclusões possíveis diante de bons repertórios de enfrentamento. Espera-se que ao final do curso, o(a) psicólogo(a) sinta-se capacitado(a) a utilizar estratégias qualitativas e quantitativas em processos de avaliação da resiliência junto a crianças e adolescentes.

 

CP8 - Estratégias da Psicologia Positiva Organizacional para Promoção do Bem-estar no Trabalho

Rita Pimenta de Devotto (FACAMP)

Clarissa Pinto Pizarro de Freitas (PUC-Rio)

Os desafios causados pelo ambiente VUCA (ou seja, volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade) em que as organizações operam, somados às imposições do trabalho remoto e distanciamento social exigiram mudanças na relação dos profissionais e gestores. O Modelo de Recursos e Demanda propõe que a interação das características de trabalho (demanda, recursos do trabalho) e dos recursos pessoais pode promover o desenvolvimento do processo motivacional e do processo de comprometimento da saúde, os quais podem impactar sobre o desempenho e possibilidades de desenvolvimento dos profissionais. O Modelo de Recursos de Demanda e a Psicologia Organizacional Positiva podem contribuir na promoção do bem-estar dos profissionais no desenvolvimento de estratégias que contribuam ao desenvolvimento do processo motivacional e previnam o processo de comprometimento da saúde. Entre essas ações, observa-se que realizar intervenções que auxiliam os profissionais a identificarem como suas necessidades psicológicas básicas (autonomia, competência e relacionamento) estão associadas ao desenvolvimento do seu trabalho. Ações focadas no nível do indivíduo também podem ser realizadas, como auxiliar os profissionais ampliarem sua autonomia no trabalho e fortalecer seus recursos pessoais (e.g., autoeficácia, esperança, trabalho significativo). Por fim, intervenções que auxiliem os profissionais a realizarem ações de redesenho do trabalho pode se constituir como uma estratégia que contribuam a promoção de bem-estar no trabalho. Com base no exposto, busca-se promover uma discussão sobre as estratégias da Psicologia Positiva Organizacional que podem auxiliar os profissionais a vivenciarem maiores níveis de engajamento no trabalho e satisfação com o trabalho.

 

CP9 - Orientação Profissional e de Carreira sob o enfoque da Psicologia Positiva

Leonardo de Oliveira Barros (UFBA)

O curso tem por objetivo refletir sobre possibilidades de atuação em Orientação Profissional e de Carreira (OPC) a partir da perspectiva da Psicologia Positiva. As discussões serão voltadas para demandas contemporâneas da OPC e sua relação com o trabalho decente/desemprego e com os marcadores de gênero e raça.

 

CP10 - S.O.A.R: Planejamento Positivo Estratégico

Heide Castro (ETOS Consultoria, Assessoria e Treinamento Ltda)

A análise SOAR é uma técnica de planejamento estratégico que ajuda as organizações a se concentrarem em seus pontos fortes e oportunidades atuais e a criar uma visão de aspirações futuras e o resultado que elas trarão.

 

Cursos online
Do dia 17/09/22 até 17/12/22

Os Cursos online estarão disponíveis para acesso dos inscritos no congresso por 90 dias, iniciando após término do congresso.

CO1 - Intervenções escolares positivas emergentes no contexto pós-pandemia

Caroline Tozzi Reppold (UFCSPA)

Esse curso discute as possibilidades de atuação da Psicologia Positiva no contexto educacional, bem como os impactos que pandemia trouxe à saúde mental da comunidade escolar. Na sequência, apresenta intervenções clássicas e intervenções inovadoras, baseadas na 3a. onda da Psicologia Positiva, coerentes com a realidade pós-pandemia, em prol da saúde, do bem-estar, da educação e do desenvolvimento de competências socioemocionais.

 

CO2 - A Interação entre Carreira e Maternidade no Bem-estar de Mães Trabalhadoras

Larissa Farina (UFRGS)

As mulheres e mães passaram a conquistar cada vez mais espaço no mercado laboral, deixando de focar somente nos trabalhos de casa. Observa-se que tiveram um aumento em sua escolaridade, estão tendo menos filhos e decidindo por serem mães mais tardiamente que suas antepassadas. Os avanços das práticas igualitárias no que diz respeito ao gênero e a configuração familiar em que ambos os pais trabalham trouxeram desafios na busca pelo equilíbrio entre os diferentes espaços ocupados por essas profissionais. Assim sendo, a conciliação entre os papéis de carreira e maternidade pode produzir conflito na vida das mulheres e impactar seus níveis de bem-estar subjetivo. Resultados de pesquisas realizadas em diferentes países do mundo mostram que uma relação saudável entre trabalho e família é essencial tanto para o sucesso das organizações, quanto para as profissionais. Diante disso, questões como maternidade, contexto, bem-estar e carreira passam a ser um importante campo de estudo na área da Psicologia Positiva e da Orientação Profissional.

 

CO3 - Desenvolvimento de Competências Socioemocionais de Crianças e Adolescentes em Contextos Educativos

Camélia Santina Murgo (UNOESTE)
Maria Celeste da Rocha Simoes (Universidade de Lisboa)

Serão apresentadas e discutidas propostas interventivas brasileiras e internacionais, facilitadoras da aquisição de competências sociais e emocionais nas escolas e demais instituições educativas, tendo em vista que tais instituições podem se configurar como espaços privilegiados na promoção do bem-estar. A resiliência será apontada como uma ferramenta essencial para o desenvolvimento destas competências denominadas como Comunicação e Assertividade, Relações saudáveis e empáticas, Otimismo e emoções positivas, Autodeterminação e autonomia, Autoconceito e autoestima positivos e competências para lidar com a adversidade, com as perdas e com conflitos familiares.

 

CO4 - Compaixão e Autocompaixão no Pós-pandemia - Teoria e Pratica

Valeschka Guerra (UFES)

Este é um curso introdutório, que tem como objetivo apresentar as definições de compaixão e autocompaixão, assim como as perspectivas teóricas e concepções de base da Terapia Focada na Compaixão. Além disso, busca fornecer sugestões de algumas práticas que podem auxiliar na introdução do conteúdo tanto em sua prática pessoal de autocuidado como na sua prática profissional.

 

CO5 - Educação Positiva: teoria e intervenções

Cyntia Mendes de Oliveira (Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar)

O curso apresentará as principais contribuições da Psicologia Positiva para a área da Educação. Intervenções baseadas em evidência científicas utilizadas para promover bem-estar no ambiente escolar e outros construtos são exploradas.

 

CO6 - Avaliação Psicológica Inclusiva

Carolina Rosa Campos (UFTM)

Curso tem como objetivo fornecer conhecimento de técnicas, metodologias e estratégias atuais utilizadas na área da avaliação psicológica direcionada a populações minoritárias. Considerando a escassez de instrumentos psicológicos voltados para este fim, aborda conceitos importantes e específicos que devem ser considerados durante o processo de avaliação de crianças e pessoas com deficiência, apontando os procedimentos que viabilizam uma avaliação ética, global e não rotuladora. Deve-se ter claro ainda que os testes psicológicos devem ter qualidade suficiente para serem aplicados em qualquer público e levar em consideração qualquer recurso que se faça necessário para que o participante tenha seu melhor desempenho, de modo que os resultados se mostrem confiáveis. Nesse caso, todo processo de administração, treinamento, conhecimento da área e da população, bem como olhar contextualizado e observável se faz de extrema relevância. Sob esta perspectiva, este minicurso irá buscar ainda estimular a apreensão desses conhecimentos técnicos, bem como clarificar, através da Psicologia, estratégias de inclusão social advindas de avaliações psicológicas.

 

CO7 - Parentalidade Positiva

Miriam Souza Castro Rodrigues

Visa ensinar a essência da parentalidade positiva, ou seja, habilidades sociais parentais, cultivo de emoções positivas no lar, e o reconhecimento e aplicação das forças pessoais de todos os membros da família.

 

CO8 - Aplicações de invariância da medida e teoria de resposta ao item em instrumentos psicológicos positivos

Cristian Zanon (UFRGS)

Este curso busca familiarizar os participantes com a importância da avaliação da invariância da medida na comparação de grupos de interesse e da relevância da TRI para identificar "falhas" na avaliação do traço latente de interesse. Serão apresentados os principais níveis de invariância (e.g., configural, métrica e escalar), os critérios de avaliação dos modelos (e.g., avaliação dos índices de ajuste) e, por fim, como realizar a comparação de médias latentes entre grupos. Em relação à TRI, serão apresentados os principais modelos usados (com ênfase ao Graded Response Model), avaliação da discrimição e dificuldade dos itens, e avaliação da curva de informação do teste. Estes procedimentos serão ilustrados em medidas psicológicas positivas já adaptadas para o Português. É desejável que os participantes tenham conhecimentos de análise de regressão múltipla, análise fatorial exploratória e análise fatorial confirmatória

 

CO9 - Novas ondas: Psicologia Positiva 2.0 e 3.0

Claudia Hofheinz Giacomoni (UFRGS)

Após o movimento inicial da Psicologia Positiva, revisões críticas tem surgindo e novos caminhos apontados pelos pesquisadores e autores. A sinalização de novas ondas faz sentido. Esse curso apresenta esses movimentos e discute um pouco sobre o futuro da Psicologia Positiva.

 

CO10 - Intervenções, Práticas e Atividades Intencionais da Psicologia Positiva

Andrea Perez Correa (Instituto Felicidade agora é Ciência)

Apresentar, conceitualmente, o que são intervenções, práticas e atividades intencionais da Psicologia Positiva, destacando como podem ser utilizadas em diversos contextos multidisciplinares. Serão abordados os seguintes temas: Concepção e Conceituação de Intervenções, das Práticas e das Atividades Intencionais da Psicologia Positiva; Por que usar intervenções, práticas e atividades intencionais da Psicologia Positiva? Como, quanto, quando e para quem aplicar: Positive-Activity Model; Cenário de aplicabilidade multidisciplinar das intervenções, práticas e atividades intencionais; Apresentação de diversos exemplos.

 

CO11 - Método JT como uma estratégia para avaliar a Efetividade das Intervenções

Clarissa Pinto Pizarro de Freitas (PUC-Rio)

O uso de intervenções baseadas em evidências são essenciais para o fortalecimento do referencial teórico científico que constitui a Psicologia Positiva. A avaliação de efetividade em psicologia pode envolver diferentes desafios éticos (e.g., privar pessoas de receberem o tratamento necessário) e operacionais (e.g., quantas pessoas são necessárias para observar a sensibilidade de uma intervenção). Além disso, a avaliação da efetividade por meio da comparação de médias de grupos pode negligenciar benefícios resultantes de intervenções aos quais os indivíduos tenham participado. Com objetivo de superar essas limitações, Jacboson e Truax desenvolveram o Método JT para avaliar a efetividade das intervenções. O Método JT permite investigar os benefícios de uma intervenção a um indivíduo comparando os escores dele antes e após a intervenção. O Índice de Mudança Confiável (IMC) e a Significância Clínica são estratégias que permitem avaliar se as mudanças dos escores apresentadas pelo indivíduo são confiáveis, evidenciam a efetividade da intervenção, ou resultam de fatores externos, indicam que a intervenção não beneficiou o indivíduo. Entre as principais vantagens do Método JT, observam-se: a possibilidade de avaliar a efetividade da intervenção para apenas um indivíduo; identificar em que medida os indivíduos se beneficiam com a intervenção; e a possibilidade de realizar as análises por meio de recursos acessíveis e simples. Em razão disso, o Método JT é uma ferramenta necessária para profissionais que desejam investigar a efetividade de suas intervenções e desenvolver intervenções baseadas em evidências.

 

CO12 - Intervenções em Psicologia Positiva no contexto do preconceito e da exclusão

Sheyla C. S. Fernandes (UFAL)

Com a publicação de manuais de Intervenções em Psicologia Positiva (IPP), cujo enfoque considera uma ampla gama de áreas, construtos e protocolos de intervenção, observa-se um número cada vez maior de interesse na aplicabilidade dessa perspectiva de conhecimento à vida prática. Em situações de crise, inclusive, as evidências apresentam um papel muito profícuo da utilização de intervenções positivas na diminuição de desfechos deletérios, o que convoca a ciência psicológica a dirigir esforços na aplicabilidade desses achados também nos impactos gerados em períodos de crise. A crise da COVID-19 alterou drasticamente a vida das pessoas, gerando, dentre as diversas consequências danosas, a necessidade do distanciamento social como medida de segurança. Com isso, o espaço cibernético se tornou indispensável para obtenção de informações, comunicação e entretenimento. Não obstante, também é crescente o uso da Web para disseminação de conteúdo odioso, o que vem impactando de forma extremamente negativa na vida de muitas pessoas, sobretudo, se considerarmos aditivamente os efeitos maléficos da pandemia. O objetivo deste curso é discutir a aplicabilidade das IPPs ao contexto dos discursos de ódio online e, para além desse cenário, refletir sobre a produção dessas intervenções em diferentes quadros de exclusão.

 

CO13 - Exercício de Job crafting: recriando o próprio trabalho

Rita Pimenta de Devotto (FACAMP)

Introduziremos a perspectiva do job crafting para identificar oportunidades de modificar o próprio trabalho e criar um plano de redesenho alinhado aos valores, competências e motivações individuais.

 

CO14 - Psicologia Positiva do Esporte e do Exercício Físico

Evandro Morais Peixoto (Universidade São Francisco USF)

A Psicologia Positiva tem demonstrado relevância em diversos contextos, como o educacional, organizacional e mais recentemente, o do esporte e exercício físico. Nessa direção, enfatiza-se a relevância de novos investimentos relacionados à investigação dos fenômenos psicológicos que contribuem para uma relação saudável e duradoura com a prática de exercícios físicos e esportes, tendo em vista os benefícios destas atividades na vida cotidiana de seus praticantes, como melhora da aptidão física, promoção de emoções positivas e percepção de bem-estar. Os resultados de pesquisas indicando a associação entre prática de exercício físico e o desenvolvimento de características psicológicas positivas tem levado pesquisadores a propor uma atuação em psicologia do esporte e do exercício físico baseada nos fundamentos da psicologia positiva. Este curso tem como objetivo refletir como a psicologia do esporte pode se beneficiar da Psicologia Positiva no esforço de manter o engajamento e maximizar os efeitos físicos e psicológicos na participação no esporte e exercícios físicos. Serão discutidos modelos teóricos relevantes à área, os instrumentos de mensuração nacionais e internacionais que operacionalizam esses construtos e o desenvolvimento de pesquisas neste campo de atuação, bem como, estratégias interventivas junto a população de atletas e praticantes de exercício.

 

CO15 - Inteligência emocional e o modelo CHC das habilidades cognitivas

José Maurício Haas Bueno

A inteligência emocional foi proposta como um conjunto de habilidades relacionadas ao processamento de informações emocionais: percepção de emoções em si e nos outros, raciocínio emocional (utilização da emoção para facilitar o pensamento), compreensão das emoções e regulação de emoções em si e em outras pessoas. A partir dessa proposição teórica, dois grandes desafios tiveram que ser enfrentados: 1) A construção de instrumentos com boas propriedades psicométricas para medi-la; 2) A busca por evidências empíricas que a suportassem como um novo tipo de habilidade cognitiva. Nesse curso veremos o caminho percorrido para o enfrentamento desses desafios.

 

CO16 - Construção de carreira e bem–estar no trabalho

Profa. Dra. Manoela Ziebell de Oliveira (PUC-RS)

O curso tem por objetivo apresentar possíveis contribuições da psicologia positiva para a construção de carreira na contemporaneidade. Discutirá os recursos necessários para empreender as diferentes transições de carreira ao longo da vida, de forma a promover experiências de sentido e bem-estar no trabalho.